Indexação Semântica Latente – Como o Google vê qualidade no seu conteúdo?

Desde que o SEO surgiu, uma infinidade de pessoas e empresas tenta chegar ao topo das páginas do Google diariamente. E o que mais se vê na internet, são conselhos para classificar melhor suas páginas nos mecanismos de pesquisa. Entre essas dicas está a indexação semântica latente.

indexação semântica latente seo

Este termo vem sendo abordado por muitos especialistas em otimização de sites e até mesmo, por cientistas e matemáticos. Contudo, a aplicação do LSI em um site ainda não é totalmente conhecida. Enquanto alguns especialistas afirmam que é possível manipular o algoritmo, outros dizem que não pode fazê-lo.

Neste artigo, vou apresentar o conceito de indexação semântica latente e explicar, de forma simples, como aplica-la em seu site. Entender como os algoritmos do Google funcionam neste sentido podem ajudá-lo a melhorar a sua posição nos buscadores. Este é o maior objetivo deste texto, então vamos lá?

O que é indexação semântica latente?

Para compreendermos este termo complexo é preciso desmembrá-lo e buscar o significado de cada uma das partes. Veja só:

Indexação, como você já deve saber, é o ato de encontrar os conteúdos e organizá-los em forma de lista. Essa ação é executada pelos mecanismos de pesquisa e, de forma mais simples, classifica os textos encontrados na web. Desta forma, os buscadores decidem quem deve aparecer na primeira página, levando em conta alguns pré-requisitos de SEO.

Já a semântica é mais velha que a invenção da internet. Trata-se de um estudo aprofundado sobre os significados das palavras, bem como as suas relações. O intuito é descobrir o que cada palavra quer dizer e também conhecer os sinônimos e antônimos de cada termo.

E quanto ao termo latente? Segundo o dicionário, latente se refere a algo oculto, encoberto ou disfarçado. Ou seja, uma coisa que não poderia ser vista facilmente.

Juntando os termos, nós temos a definição: busca por sinônimos ocultos no conteúdo, para classificá-lo nas páginas dos buscadores.

Apesar de não ser uma definição totalmente clara, é o significado mais próximo que podemos encontrar. O Latent Semantic Indexing, termo original em inglês, ainda é cercado de muitos mistérios e achismos. No entanto, vou buscar desvendá-lo ao máximo a seguir.

Como funciona o LSI?

Nos mecanismos de busca, a procura por padrões é realizada de forma lógica. Para isso é usada uma técnica denominada SVD, ou Decomposição em Valores Singulares. Como o próprio nome sugere, os termos são analisados individualmente e, na sequência, relacionados para criar um padrão.

Em termos práticos, os buscadores (Google, Yahoo, Bing) analisam o seu conteúdo em busca de termos ligados à ideia principal. Ou seja, palavras que deveriam ser citadas naturalmente em seu conteúdo. Quando as encontra o buscador entende que há qualidade no conteúdo, do contrário o seu texto está em maus lençóis.

Vamos tomar como exemplo este artigo sobre indexação semântica latente. Seguindo o padrão lógico SVD, é esperado que este texto contenha alguns termos relacionados com este assunto. Você consegue imaginar que sinônimos seriam esses?

Estamos falando de como os buscadores agem, logo seria prudente citá-los, correto? Além disso, está é uma técnica usada na otimização de sites, então mais um termo para a lista. E outras palavras tão boas quanto poderiam surgir.

O ponto mais importante é que serão nestes termos que o Google vai se apegar. Através deles os buscadores compreendem o tema principal do post e identificam se ele possui qualidade ou aprofundamento suficiente. Também com a indexação latente é que os buscadores conseguem lidar com termos ambíguos.

Por exemplo, ao criar um artigo sobre “como fazer churrasco” e outro sobre “planejamento”, como o Google percebe a diferença? Se você respondeu pela indexação semântica latente, então, já conseguiu compreender como isso funciona.

No primeiro texto do exemplo eu poderia falar sobre fatores ligados a fazer um churrasco (carne, grelha, carvão, etc.). Já no segundo, é bem provável que eu citaria palavras ligadas com o planejamento (quantia de carnes e bebidas, etc.). Percebeu a diferença?

Como usar a indexação semântica latente?

Eu posso apostar que 90% dos leitores deste artigo queriam chegar exatamente nesta parte. Agora vou reunir algumas dicas de como você pode usar a indexação semântica latente.

Já sabemos que os buscadores usam essa técnica para determinar a qualidade do conteúdo. O Google, por exemplo, começou a aplicar este requisito em seu programa de anúncios, o Google Adsense. Na época, a ideia era otimizar os anúncios mostrados em sites parceiros.

Caso você ainda não conheça o Adsense, vou explicar rapidamente como ele funciona. Os anunciantes buscam o Google para distribuir suas peças de marketing. Já o maior buscador do mundo encontra sites e blogs parceiros para mostrar estes anúncios. Os algoritmos do Adsense leem a página do parceiro e mostram o anúncio mais relevante para aquele conteúdo. Bacana, não é?

Mas falando em SEO, como você pode usar a indexação semântica latente a seu favor? Veja algumas dicas abaixo para melhorar os seus resultados.

1. Conteúdo de qualidade

O primeiro ponto, sem dúvida, é investir em conteúdo de qualidade para o seu blog. Como disse anteriormente, a indexação semântica ocorre de forma natural quando seu conteúdo tem aprofundamento. Logo, se você se dedicar a pesquisa e planejamento de suas pautas, terá mais chances de melhorar os seus resultados.

Antes de escrever sobre qualquer tema, busque por referências confiáveis. Veja quais as informações costumam aparecer sobre este conteúdo e procure se aprofundar ao máximo.

Ao invés de criar vários conteúdos superficiais, invista em artigos para blog mais completos. Um bom exemplo é este texto que chega próximo a 2 mil palavras. Nele você encontra um guia completo sobre indexação semântica latente. Abordei neste conteúdo desde a definição, até algumas dicas para usá-lo em sua estratégia de SEO.

Basicamente, qualquer empresa ou blog pode fazer isso com seus conteúdos. Além de você melhorar suas chances de aparecer nos primeiros resultados, ainda consegue otimizar o seu tempo e agradar leitores.

Pense comigo, quanto tempo ou dinheiro você precisa para criar um conteúdo de 500 palavras? Este é um texto mediano, que a maioria dos blogs produz. Agora imagine quanto seria necessário para produzir um artigo de 2 ou 3 mil palavras? E se ao invés de produzir 4 artigos medianos por mês, você focasse em apenas 2 com duas mil palavras?

Provavelmente, você iria precisar investir mais dinheiro ou tempo. Porém, o artigo mais completo traz mais resultados para você. Nele você pode explorar melhor o assunto e tem mais chances de usar a semântica. Da mesma forma pode focar em poucas páginas de seu blog para otimizar.

Praticamente o mesmo investimento mais focado em trazer mais resultados. Essa deve ser a sua ideia principal com o marketing de conteúdo e a indexação semântica latente.

2. Escolha sinônimos e palavras relacionadas

Não vou mencionar a pesquisa de palavras-chave, porque isso é uma obrigação de quem deseja gerar conteúdo com qualidade. Felizmente, a maioria das pessoas já percebeu isso. Por esse motivo, as ferramentas de busca de palavras-chave se tornaram tão comuns.

Porém, um número muito pequeno de estrategistas de conteúdo se preocupa em buscar por palavras relacionadas ou sinônimas. Na maioria das vezes, eles focam em uma palavra-chave principal e esquecem todo o resto.

Só para você ter uma ideia, vários de nossos clientes aqui na RO se comportam exatamente assim. Eles ficam preocupados com o uso da palavra-chave no título, subtítulo e o número de vezes que ela se repete. No entanto, raramente questionam sobre os sinônimos ou palavras-chave relacionadas.

A verdade é que hoje você não precisa repetir a sua palavra-chave ao pé da letra no conteúdo. Usar de variações de seu termo principal, adicionar sinônimos e palavras relacionadas são mais eficazes. Assim, você não só mostra ao Google em quais palavras deseja ranquear, como aumenta a percepção de qualidade do conteúdo.

Sendo assim, na próxima vez que for selecionar os termos de busca que deseja ranquear, preste mais atenção nos sinônimos. Crie uma segunda lista com as palavras mais relacionadas com o seu conteúdo e procure usá-las naturalmente no texto.

A maioria das ferramentas de pesquisa de palavras-chave já apresenta os termos relacionados com a sua busca. Mas você pode visitar os primeiros resultados do Google de sua pesquisa e ver com os próprios olhos. Experimente listar as palavras que estes sites mais usam no conteúdo relacionado com o seu.

3. Foco no usuário

Sempre que me perguntam sobre otimização para mecanismos de pesquisa, essa é a minha dica de ouro. Se você não sabe o que deve fazer nem por onde começar, então foque no seu usuário.

Os sites de busca precisam dos internautas tanto quanto você precisa de leitores em seu blog. Quando você valoriza o usuário nesta relação, as suas chances de agradar os mecanismos de busca também aumentam.

Isso acontece porque o Google, por exemplo, leva outros fatores na hora de posicionar o seu site nos resultados orgânicos. Fatores como tempo de permanência no site e compartilhamentos sociais de seu conteúdo também ajudam. Afinal, você não pensou que os buscadores deixariam de considerar a opinião de quem mais importa, não é?

A interação que seu conteúdo recebe na internet, também ajuda os sites de busca a determinar a qualidade dele. Não é segredo para ninguém, que um dos critérios do Youtube é justamente o tempo de visualizações de seu canal. Quanto maior esse número, mais fácil você chega ao topo do site e mais views coleciona.

Exatamente por isso, essa deve ser a primeira preocupação quando falamos em SEO. Você está se preocupando o suficiente com o usuário? Seu conteúdo realmente é útil para os seus leitores? Suas páginas estão otimizadas para dispositivos móveis?

Lembre-se que quanto melhor a experiência do usuário, mais pontos você ganha com os buscadores. Então, sugiro que você comece por agradar os seus leitores e usuários. Descubra o que eles querem e dê isso a eles em seu blog. Essa é a maneira mais fácil de conseguir resultados, mesmo sendo tão simples.

4. Não encha linguiça, ou então…

Até aqui já vimos que o Google valoriza conteúdos mais completos e com qualidade. Mas sempre aparece aquele espertinho tentando burlar as coisas. Alguns podem ter pensado que criar conteúdos grandes já é suficiente.

Porém, não é bem assim! Com a indexação semântica latente os algoritmos dos buscadores desenvolveram um super poder. Eles são capazes de ler o conteúdo quase como um ser humano. Para além disso, conseguem definir se o conteúdo faz sentido ou apenas enche espaço.

Percebeu porque eu chamei isso de super poder? A LSI tornou mais difícil manipular os algoritmos de qualquer site de pesquisa. Pelo menos, você não conseguirá fazer isso por muito tempo de forma impune.

No entanto, se ainda assim você estiver otimista em apenas encher linguiça em seu blog, tenha cuidado. Desde o seu lançamento o algoritmo do Google sofreu diversas atualizações. Em cada upgrade diversos sites são varridos dos resultados orgânicos, como se nunca tivessem existido.

Com raras exceções isso acontece porque o site tentou ou burlou o sistema por algum tempo. Mas quando foi descoberto, chegou ao seu fim. Imagine ter milhares de visitas em seu blog de forma orgânica e de uma hora para outra perder tudo. É como construir um castelo sobre a areia.

O último conselho que posso lhe dar é: se quer ter resultados com o SEO, então faça as coisas certas. Comprometa-se com sua audiência e gere conteúdo realmente de qualidade. Pode ser mais trabalhoso e demorado, mas com certeza são conquistas que você pode manter. Não encha linguiça, ou seu lindo castelo pode cair de uma hora para outra.

Conclusão

Agora que você compreendeu o que é a indexação semântica latente, já pode tomar mais cuidado em seu conteúdo. Poucas pessoas tem acesso a essas informações, então você já esta a frente de muitos. Apenas por saber como a indexação latente afeta seus resultados com SEO, você pode mudar a história do seu negócio. Não desperdice essa oportunidade!

Se você quiser mais informações sobre como otimizar o seu site para SEO, tenho outro artigo para você. Leia o Guia de SEO para pequenas empresas, eu tenho certeza que você vai adorar.

Junte-se a mais de 413 alunos e descubra como atrair mais clientes com o marketing de conteúdo!

César Ribeiro

César Ribeiro é o CEO do RedatorOnLine.net e consultor de marketing para pequenas empresas e profissionais liberais. Atua com marketing digital e marketing de conteúdo há mais 8 anos. Autor, empreendedor e apaixonado pela internet.

Website: https://redatoronline.net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *